Feeds:
Posts
Comentários

Recebi esse email de um amigo que está sempre promovendo ações beneficentes em Floripa, achei importante repassar:

Amigos por uma causa

Por mais que evitemos de mandar mails por qualquer motivo, a causa é muito mais importante.

O que para você não custa nada pode
ser muito para quem perdeu tudo.

Muitas entidades se organizaram para recolher e enviar provisões aos desabrigados. Com certeza tem algum ponto de coleta próximo a você ou uma conta para facilitar. Veja no final do e-mail.

Resolvemos colocar algumas especificações para alimentos não-perecíveis e roupas, já que certas necessidades passam desapercebido:

* Muitas famílias perderam fogões, portanto lembrem de incluir alimentos que não necessitem preparo ou possa fazê-lo a frio.
* Água. Água. Água.
A sede mata muito antes da fome e em alguns municípios isso ficou mais raro que no deserto.
* Se você já ouviu a expressão “perdeu até as cuecas”, não esqueça que isso aconteceu literalmente. Inclua roupas íntimas (preferencialmente novas) nas suas doações. Toalhas e lençóis são importantes também.
* Lavem as roupas guardadas
pois eles não poderão fazê-lo.
* Além dos mais de 50 mil colchôes necessários, precisa-se de cobertores e travesseiros
.

Instituto Top Tênis
Rodovia SC-401, 4.100 (atrás do Primavera Garden Center). Fones (48) 3238-5100/9963-8742

Defesa Civil do Estado de Santa Catarina – http://www.defesacivil.sc.gov.br
Rua Dom Joaquim, 601 – Centro. Fone: (48) 3224-0298
Banco do Brasil – Agência 3582-3, Conta Corrente 80.000-7
Besc – Agência 068-0, Conta Corrente 80.000-0.
Bradesco – Agência 0348-4, Conta Corrente 160.000-1
Fundo Estadual da Defesa Civil, CNPJ – 04.426.883/0001-57

FIESC – Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina
Rodovia Admar Gonzaga, 2765 – Itacorubi. Fones: (48) 3231-4100/3334-5623
Banco do Brasil – Agência 3425-8, Conta Corrente 21.000-5, CNPJ: 83.873.877/0001-14.

Ação Social Arquidiocesana/Flagelados 2008
Podem entregar em qualquer paróquia da Grande Florianópolis
Banco do Brasil – Agência 3174-7, Conta Corrente 17.611-7
Comunicar por mail asa@arquifln.org.br ou fax (48) 3224-8776

Consulte a lista de locais de doação separados por cidade no SOS SC – clicRBS.

A lembrança da sua solidariedade vai ajudar muitos a esquecer seus sofrimentos.
Fábio Nunes
(48) 9979-9200/7811-3273
Nextel ID: 84*30244 e Skype: fabiofriendssession
http://www.friendssession.com.br

Anúncios

Santa Catarina Submersa

Enquanto Los Angeles se recupera do maior incêndio da temporada (e que espero eu seja o último), lá quase na outra ponta do hemisfério, em Santa Catarina, o pessoal está passando por uma temporada de chuvas que se estende há meses e que nos últimos dias causou danos e perdas irreparáveis. A manchete do DC me deixou sem palavras:

Manchete_DCSC

Fonte: Diário Catarinense (24/11/2008)

No blog criado para dar espaço aos leitores do Jornal, imagens e relatos de doer o coração.

Várias cidades do estado já decretaram estado de emergência. Blumenau está embaixo d’água. A BR-101, no sentido sul, logo após Palhoça, está interditada (e parece que vai continuar assim por mais alguns dias). A Rodovia SC-401, que conecta o centro ao norte da Ilha de Florianópolis também está interditada, e segundo minha correspondente internacional, enquanto tentavam limpar o trecho, outra barreira deslizou complicando ainda mais os trabalhos. Há suspeita de que dois carros pequenos estejam soterrados…:(. Para ajudar, numa ironia tremenda, duas das adutoras que abastecem a região da Grande Florianópolis romperam, e muita gente ficou sem água.

É uma pena que um pouco dessa água não possa vir pra cá e um pouco da seca daqui não possa ir pra lá…

UPDATE:

Abaixo ficam as listas de postos de coleta de doações em várias cidades de Santa Catarina. Assim que conseguir vou tentar descobrir como o pessoal de fora do estado pode fazer doações também:

Para a lista completa dos pontos de coleta, clique no nome da cidade abaixo:

Grande Florianópolis

Joinvile

Litoral e Praias

Los Angeles em Chamas

Los Angeles está em chamas desde ontem, com incêndios nos arredores de Santa Bárbara e também aqui perto de casa, no noroeste da cidade. O número de casas que sucumbiram as chamas ainda é incerto, mas apenas numa comunidade de trailers (casas móveis) foram 550 casas perdidas para as chamas. Segundo uma matéria no jornal de Los Angeles, são mais de 10.000 pessoas evacuadas de suas residências por precaução. O fogo não faz distinção de classes, e várias mansões também estão sendo atingidas pelas chamas. O ator Rob Lowe disse que escapar de sua casa com seu filho foi como estar vivendo um Armagedom.

As imagens na TV são assustadoras. As ‘brazas’ são levadas pelo vento, atravessando ruas e iniciando novos focos de incêndio.  Há várias rodovias fechadas pois a fumaça e as rajadas de vento cheias dessas ‘brazas’ tornam impossível o transito nessas rodovias. Mesmo as casas que são construídas com material menos suscetível as chamas, como reboco com call e telhas de barro, estão sendo atingidas, pois as faíscas entram pelo sistema de ventilação e queima as casas de dentro para fora.

O mais assustador é a aleatoridade dos incêndios, que uma vez iniciados, são extremamente difíceis de controlar. O famoso vento de Santa Ana (que me lembra o nosso vento sul de Floripa) que tem soprado na região também não ajuda na contenção das chamas. Mas parece que as coisas estão melhorando, mais nenhuma evacuação obrigatória foi estabelecida nas últimas horas. Agora é torcer pra que o vento abrande e os bombeiros consigam pelo menos controlar a situação.

Mais uma pequena (porém altamente calórica) brecha na dieta, para não perder o hábito. Essa semana tive um orkontro em Irvine, umas duas horas ao sul daqui. Planejei levar um bolo de mandioca com coco que eu adoro. Infelizmente, acabei me atrapalhando um pouco e só consegui levar a mim mesma e a minha boquinha nervosa.

Mas, como já havia comprado a mandioca e coco, resolvi fazer o bolo hoje, para o meu próprio deleite (até o momento) e o deleite (futuro, pois ele ainda está esperando esfriar pra experimentar) da cara metade. Esse bolo é mais uma daquelas muitas coisas quase mitológicas por aqui, já que se quiser só fazendo em casa mesmo, não tem pra comprar em nenhum lugar. Mas, o bom é que o aipim (que é como a gente chama mandioca no sul), tem em qualquer mercado. O nome em inglês é yucca root (ou raiz de yucca), os derivados, como polvilho e as bolinhas para fazer sagu são conhecidos como tapioca, mas a raiz mesmo é yucca.

Os ingredientes

Os ingredientes

Usei a seguinte receita com pequenas variações (em itálico):

Ingredientes:

– 700 gramas de mandioca crua (ralada) – usei menos que isso, apenas uma raíz grande, pois era o que eu tinha em casa.

– 1 lata de leite condensado

– 1 vidro de leite de coco – usei uma lata maior que a lata de leite condensado, pois é o que se encontra por aqui.

– 4 ovos – usei apenas 3 (acho que poderia ter usado 2).

– açucar a gosto – coloquei uma xícara de cafezinho (mas nem precisava, pois o coco aqui já vem com açucar).

– 1 coco ralado pequeno (coloquei um pacote enorme que tinha em casa).

Modo de fazer:

No forno

No forno

Descascar a mandioca e retirar o fio que fica no meio (a receita pede pra reservar e depois jogar ela inteira no liquidificador, mas eu ralei a minha no processador de alimentos).

Bater no liquidificador, o leite condensado, os ovos, o leite de coco, o açúcar. Juntar a mandioca aos poucos.

Quando estiver bem moido, juntar o coco com uma colher de pau. A minha mistura ficou bem rala, por isso acabei usando todo o pacote de coco ralado (e também porque gosto bastante de coco).

Assar em assadeira untada com margarina em fogo brando por 40 minutos. Está pronto quando o bolo estiver douradinho.

E ai está o resultado:

O resultado!

O resultado!

Chicago - vista do apê

Chicago - vista do apê

Essa semana com a comemoração da vitória do Obama no Grant Park em Chicago, fiquei meio nostálgica da cidade dos ventos. Na verdade o certo é dizer fiquei mais nostálgica do que o normal, pois como deixei amigas muito queridas por lá, estou sempre meio saudosa. Mas como saudades de gente é diferente, vamos dizer que fiquei com saudades de estar lá, de andar pelas ruas da cidade, de passear pelos seus parques, de andar de bike na beira do lago Michigan, dos shows ao vivo (e de graça) no Millenium Park. Deu saudades até do nosso apErtamento, que o que tinha de melhor era essa vista do Lago Michigan ai da foto ao lado.

Lago Michigan

Lago Michigan - Chicago

Para quem não sabe, morei em chicago por um ano (Março de 2006 a Março de 2007). Quando a cara-metade me disse que tinha sido convidado para uma entrevista de empregos por lá fiquei bem cética. A Chicago do meu imaginário era aquela dos gangsters dos filmes de Al Capone e outros do gênero. Quando a primeira etapa da entrevista deu certo, e fui até lá pela primeira vez para conhecer a cidade e ver lugares para morar, minha surpresa foi imensa. Junto com toda a confusão, transito e loucura de uma cidade de mais de 3 milhões de pessoas, Chicago tinha também uma beleza singular, com sua Lake Shore (Orla do Lago), sua simpática downtown, seus parques. Enfim, uma cidade que mesmo no frio de novembro, quase na semana do famoso dia de Ação de Graças, irradiava luz e beleza. Me encantei.

4 de Julho 2006, Fogos de Artificio, Chicago

4 de Julho 2006, Fogos de Artifício, Chicago

Chicago é uma metropole, mas com jeito de cidade pequena. O seu centro está muito longe da magnitude de NY ou mesmo de LA, em compensação, tem tudo que essas cidades tem de bom, e talvez um pouco mais. Lembro bem de uma ocasião em que jantamos um restaurante árabe, no meio do bairro mais gay da cidade, e ao som de Roberto Carlos (em italiano!). Achei a combinação toda tão cosmopolita que a imagem ficou gravada na minha memória para sempre.

Millenium Park - Show do Seu Jorge

Milleninum Park - Show do Seu Jorge

Enquanto morávamos lá fizemos longos passeios de bike pela orla do lago, que tem trilhas pavimentadas para pedestre e ciclistas, assistimos a vários shows no Milleninum Park, fomos a vários museus de arte, passeamos na roda gigante do Navy Pier. Visitamos o Zoológico do Lincon Park, e o Aquário da cidade, fomos ao topo de Hancock Building, e assistimos os fogos do 4 de Julho da Janela de casa. E ainda assim, faltou muito pra ver e fazer. Chicago vale a visita. Na dúvida dá uma olhadinha em alguma das nossas fotos.


Hoje é dia de Cecília!

Leilão de Jardim

Photobucket

Quem me compra um jardim com flores?
Borboletas de muitas cores,
lavadeiras e passarinhos,
ovos verdes e azuis nos ninhos?

Quem me compra este caracol?
Quem me compra um raio de sol?
Um lagarto entre o muro e a hera,
uma estátua da Primavera?

Quem me compra este formigueiro?
E este sapo, que é jardineiro?
E a cigarra e a sua canção?
E o grilinho dentro do chão?

(Este é o meu leilão.)

Descobri através do Luz de Luma (que está sempre por dentro de tudo), que hoje é aniversário de nascimento de Cecília Meireles, e que a Leonor Cordeiro, do blogue “Na dança das palavras…” está promovendo uma homenagem coletiva a Cecília: HOJE É DIA DE CECÍLIA!

Então peguei carona na brincadeira e escolhi esse poeminha acima para publicar pois me lembra das minhas cartilhas do primário (sim, sou da época em que o ensino fundamental era considerado o primário!), e me trouxe uma nostalgia gostosa.

Para comemorar, espalhe a poesia de Cecília a quem quiser ouvir 😉



De um lado, cores de menos:

Mapa eleitoral Americano - 2008 - por condados

Mapa eleitoral Americano - 2008 - por condados

De outro, cores demais:

Mapa eleitoral brasileiro 2008, por municipios

Mapa eleitoral brasileiro 2008, por municípios

Bom, sei que estamos falando de eleições diferentes, enquanto aqui se estava escolhendo o presidente e os senadores e o que é equivalente a deputados, ai se escolhiam prefeitos e vereadores. Mas a diferença no número de partidos políticos não muda, e desde que ví esse mapa do resultado das eleições no Brasil fiquei querendo colocar os dois juntos para dar uma idéia do contrate. Enquanto aqui há falta de opções, ai tem-se opções demais…